Um lugar de onde se vê

Compartilhe

O que vem a ser o teatro?
Através do teatro dei os primeiros passos para entender de onde vinha e quem era aquela massa silenciosa de trabalhadores na usina, depois me possibilitou a energia de que era só seguir em frente e até agora é uma lamparina nesse túnel escuro de verdades verdadeiras e destinos pré-estabelecidos. Como propuseram os gregos é o lugar de onde se vê e a partir desta visão ter condições de pensar o mundo no qual estamos enfiados. Os burgueses conseguiram separar o público do palco, os intelectuais usam-no para a docilização dos oprimidos, uns fazem-no seu utilitário imediato, tem até aqueles que utilizam como alívio. Teatro para criança, aplicado, para mancos e avessos. No entanto, pouco ou nada vemos.

Cite algum espetáculo atual?
O mais significativo que vejo agora é o que acontece na Tunísia e no Egito com jovens espetacularizando suas insatisfações na rua. Em algum canto de colégio meninos e meninas estão arremedando seus professores, diretores e pais. Numa esquina movimentada de uma grande cidade vejo um sujeito falante pregando suas grandes certezas e num culto qualquer um religioso exercita seu laboratório de mágicas. Um grupo de pesquisa teatral lê e gera um texto. Um ator expõe os resultados de três anos de pesquisas em interpretação. Enfim, tem muito teatro sempre acontecendo no mundo. Por mais que tentem domesticá-lo, o teatro é uma anima intolerante e insatisfeita.

O melhor espetáculo?
É aquele que nos causa perplexidade, nos provoque e nos tire a bunda da cadeira, mesmo que só para aplaudir. A maioria dos que vi não estava num palco.

Então não gosta do teatro formal?
Nem da escola formal, do sexo formal e, muito menos, da roupa formal. A nossa capacidade de ir além é o que instiga. O que irrompe, atravessa. A forma por ela mesma nos limita. Podemos usar a forma como elemento de apoio.

Qual o método?
Sendo o método um caminho, então uma indicativa é apontar um itinerário e ter a clareza de que esse itinerário não passa de indicativa. Um lugar onde até podemos chegar, mas não significa, necessariamente, que iremos alcançá-lo. Durante o trajeto esta sujeito a mudança. Enfim, aquela caoticidade em que dois ou mais elementos se encontram e geram outras manifestações visíveis. A separação do apolíneo do dionísiaco foi a primeira manifestação positivista no ocidente e a partir dai passamos a compreender o mundo em dimensão dual. O teatro é o lugar aonde a gente, ainda, pode ser imperfeito, incorreto e indivisível.

Este caminho possibilita o sustento?
Depende das necessidades em que nos colocamos. Quem tem necessidade de glórias, crie suas cruzadas e pelotões. Os que buscam compreensão viabilizem argumentos. Enfim, os que querem teatro, abram os olhos.

2 comments on “Um lugar de onde se vê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>