arte.cultura.pensamento

Category Archives: fontes

fragmento 1: REINALDO MAIA fala de arte e movimentos

ainda O BANQUEIRO ANARQUISTA

… Ora eu já lhe provei que qualquer ficção social só pode ser “destruída” pela revolução social, arrastada com as outras na queda da sociedade burguesa. “Como podia eu tornar-me superior à força do dinheiro? O problema mais simples era afastar-me da esfera da sua influência, isto é, da civilização; ir para um campo comer […]

DIAGNOSE CÊNICA

SALVE RED HOT CHILI PEPPERS

SALVE ELOMAR FIGUEIRA MELO

Josefina sai cá fora e vem vê Olha os forro ramiado vai chuvê Vai trimina riduzi toda criação Das bandas de lá do ri gavião Chiquera pra cá já ronca o truvão Futuca a tuia, pega o catadô Vamo planta feijão no pó Futuca a tuia, pega o catadô Vamo planta feijão no pó Mãe […]

SALVE MANOEL DE BARROS

Venho de um Cuiabá de garimpos e de ruelas entortadas. Meu pai teve uma venda no Beco da Marinha, onde nasci. Me criei no Pantanal de Corumbá entre bichos do chão, aves, pessoas humildes, árvores e rios. Aprecio viver em lugares decadentes por gosto de estar entre pedras e lagartos. Já publiquei 10 livros de […]

SALVE PAULO LEMINSKI

I Confira tudo que respira conspira II Tudo é vago e muito vário meu destino não tem siso, o que eu quero não tem preço ter um preço é necessário, e nada disso é preciso III Cinco bares, dez conhaques atravesso são paulo dormindo dentro de um táxi IV isso de querer ser exatamente aquilo […]

NATUREZA MORTA PELO INTERIOR

Na última quarta (26), Anna Cecília Junqueira abriu as alas para o teatro na Associação Médica de São Carlos com o belíssimo espetáculo NATUREZA MORTA de Mario Viana e direção de Eric Lenate. Depois da apresentação aconteceu um intenso debate entre a atriz, o diretor e o publico composto por médicos, arquitetos, engenheiras, psicólogas, educadoras […]

O Silencio de Pascal por Paulo Leminski

” O silêncio desses espaços infinitos me apavora ” os pensamentos estraçalhados de Pascal são a crise de uma consciência excepcional no limiar de uma nova era o místico Pascal contempla o céu estrelado numa vã espera de vozes o céu calou-se estamos sós no infinito deus nos abandonou ” daquela estrela à outra a […]

Mumunhas, prosetas e fatecos.

O mineiro Beto Guedes e sua trupe, com canções meladas, tocaram uma parte da trilha sonora no tesouro de nossa juventude. Da janela, uma igreja, um sinal de glória e, por estas, fazíamos os grandes e imemoriáveis bailes na esquina de nossas utopias ou em busca de uma estrada maior do que aquela barrenta em […]